Cate Blanchett aparece na abertura do Festival de Cannes repetindo roupa

Cate Blanchett aparece na abertura do Festival de Cannes repetindo roupa

O cineasta americano Martin Scorsese e a atriz australiana Cate Blanchett, presidente do júri, inauguraram nesta terça-feira à noite o 71º Festival de Cannes.

Mas a atmosfera na Croisette é menos amena.

Esta é a primeira edição do evento após os escândalos sexuais que varreram Hollywood nos últimos meses, e a expectativa é ver uma política de tolerância zero a qualquer abuso - o festival abriu uma linha telefônica especial por meio da qual será possível relatar qualquer incidente.

O diretor do festival Thierry Fremaux explica que este ano tentaram "ser mais ousados na escolha dos filmes em competição".

Sobre Reed Hastings, CEO da Netflix, não há dúvidas. Depois de ter dois filmes em competição em 2017 e gerar polêmica pelo fato de lançá-los diretamente na plataforma de vídeo, sem a passagem pelas salas de cinema, a empresa rompeu com o festival por se recusar a ceder à exigência de um lançamento convencional no circuito cinematográfico.

Mas Cannes terá outras surpresas a oferecer, especialmente da Ásia e do Oriente Médio.

More news: Estudante não-binária desaparecida foi morta por facção, conclui Polícia

Nesta edição, a competição oficial incluirá, entre outros, "Le livre d'image", de Jean-Luc Godard, "BlacKkKlasman", de Spike Lee, "Dogman", de Matteo Garrone, "Three Faces", de Jafar Panahi, e "Summer", de Kirill Serebrennikov.

O filme de abertura é Todos lo saben, do iraniano Asghar Farhadi, sobre o qual se sabe bem pouco. Três diretoras concorrem à Palma de Ouro.

A trama se passa na Espanha, em uma viagem de Carolina e seu marido para Madri, cidade onde seus familiares nasceram. Os demais grandes filmes de Farhadi você conhece – Procurando Elly, A separação, O apartamento. No elenco de Todos lo sabem, a almodovariana Penélope Cruz, Javier Bardem (como o marido argentino) e, do passado, surge Ricardo Darín. Esse trio promete movimentar o tapete vermelho de Cannes, mas é só o começo.

Com o seu júri passando pela passarela do evento, o festival acontece entre os dias 8 e 19 de maio.

Da seleção oficial, na secção "Un certain regard", faz parte o documentário "Chuva é cantoria na aldeia dos mortos", de João Salaviza e Renée Nader Messora, rodado numa aldeia do povo Krahô, no Brasil. Cacá Diegues terá direito a gala no sábado, 12, às 19h locais (2 da tarde no Brasil), com seu O grande circo místico.

Beatriz está nas nuvens.

Related Articles