Dispara a rejeição ao ex-prefeito Doria em São Paulo, segundo Datafolha

Dispara a rejeição ao ex-prefeito Doria em São Paulo, segundo Datafolha

Ele aparece com 29% das intenções de voto, seguido pelo presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (PMDB), que tem 20%. Cerca de 1/3 dos votos de Skaf migra para o tucano, 35% decidem votar nulo ou branco e o resto se divide entre os outros candidatos.

No segundo cenário, Skaf, que ainda não confirmou sua pré-candidatura ao governo do estado, não é apresentado aos eleitores.

Sem o presidente da Fiesp no páreo, a vantagem de João Doria (PSDB) é ainda maior. Nesse caso, Doria teria 36%; Marcio França ficaria com 10%; e Luiz Marinho aparece com 9%.

Nos dois levantamentos, os pré-candidatos Rogério Chequer (Novo), Lisete Arelaro (PSOL) e Alexandre Zeitune (Rede) ficam na faixa de 1% a 3%. Enquanto Skaf é numericamente (34%) o mais rejeitado, Doria viu crescer o número de eleitores que não votam nele de jeito nenhum (de 28% para 33%), especialmente onde governou: na capital. O levantamento realizado dias depois da renúncia do ex-prefeito mostra que 47% dos paulistanos consideram sua administração ruim ou péssima.

O petista tinha 17% de ótimo ou bom após 15 meses de gestão, de acordo com o instituto.

More news: Manifestantes pró-Lula ocupam tríplex por quatro horas em SP

Quanto à corrida eleitoral, nos dois cenários levantados pelo Datafolha, o pré-candidato João Doria está em primeiro lugar, conquistando entre 29% e 36% das intenções de voto dos leitores paulistas. Para 66%, ele agiu mal ao renunciar.

O Datafolha também questionou em quem os entrevistados sobre quem eles não votariam no primeiro turno.

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira (16) aponta um aumento acentuado da rejeição ao ex-prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB). Marinho foi citado por 27% e o atual governador do estado foi lembrado por 22%.

O Datafolha ouviu 1.954 eleitores em 68 municípios de São Paulo.

Related Articles