Caixa reduz juro habitacional pela 1ª vez desde 2016

Caixa reduz juro habitacional pela 1ª vez desde 2016

E os recursos disponíveis para o crédito imobiliário é de R$ 82,1 bilhões. Além disso, o banco também anunciou o aumento de 50% para 70% da cota de financiamento de imóvel usado. O Banco do Brasil oferece, respectivamente, taxas de 9,24% e 10,15% ao ano para as categorias de empréstimo citadas acima.

As taxas mínimas passaram, nesse caso, de 10,25% a.a para 9% a.a, no caso de imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% a.a para 10% a.a, para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Em simulação feita pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) a pedido do R7, para aquisição de imóvel novo no valor de R$ 450 mil, com a redução dos juros, a economia é de R$ 77.774,79 no financiamento. Em nota, o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, disse que "o objetivo da redução é oferecer melhores condições para os nossos clientes, além de contribuir para o aquecimento do mercado imobiliário e suas cadeias produtivas".

A Caixa anunciou ainda a retomada da migração de financiamentos de até 70% de outros bancos, a chamada portabilidade.

De acordo com Josino, o banco atendeu aos apelos vindos do próprio setor imobiliário, que demonstrava dificuldades em deixar a crise econômica no passado.

More news: "Missão cumprida", comemora Trump após ataque à Síria

Imóveis comprados através do Sistema Financeiro Habitacional, que englobam imóveis residenciais de até R$ 800 mil para todo o país, menos para os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, estados em que o limite é de R$ 950 mil, tiveram redução na taxa mínima de juros de 10,25% para 9% ao ano. Antes das mudanças feitas em agosto do ano passado, a Caixa financiava até 80% de imóveis usados.

Quando o teto para financiamento do imóvel usado aumenta, automaticamente, mais pessoas são incluídas no mercado imobiliário, pois a quantia de dinheiro que o adquirente precisará para dar a entrada será menor. Os bancos privados já haviam baixado os juros. "Assim, consegue-se vender o usado com mais facilidade".

"É um alento muito grande para o setor". O vice-presidente do Secovi Regional Norte (Sindicato da Habitação e Condomínios), Marcos Moura, defende que o percentual financiado deve retornar aos patamares de anos atrás, quando se chegava até 100% do valor do imóvel.

É importante ressaltar que essa é a taxa mínima de juros cobrada pela Caixa para quem não tem relacionamento anterior com o banco.

A concretização do sonho da casa própria pode estar mais próximo.

Related Articles