Rússia diz que defesa síria derrubou vários mísseis de ofensiva

Trump advertiu, ontem, que "os mísseis chegarão" à Síria em resposta aos supostos ataques químicos realizados em 7 de abril e apesar do risco de um confronto com a Rússia, aliada de Damasco.

"A Rússia promete derrubar todos e quaisquer mísseis lançados contra a Síria. Prepare-se, Rússia, porque chegarão lindos, novos e 'inteligentes'!", tuitou o presidente americano.

"A Rússia é favorável a uma investigação objetiva e imparcial antes de emitir qualquer julgamento", explicou o porta-voz.

"Os mísseis inteligentes devem voar em direção aos terroristas e não em direção do governo legítimo, que luta contra o terrorismo internacional há vários anos no seu território", disse Maria Zakharova.

A autorização dos ataques ocorre uma semana após relatos de ONGs da Síria de um ataque químico a civis na cidade de Douma, reduto rebelde próximo de Damasco.

More news: Rússia alerta contra ações que podem 'desestabilizar' a Síria

A imprensa estatal síria denunciou neste sábado (14) a operação militar conjunta de Estados Unidos, França e Reino Unido contra o governo de Damasco afirmando que são "ilegais e estão destinados ao fracasso".

A ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas, informou o Pentágono.

O ataque foi realizado na véspera de uma investigação internacional na cidade afetada.

A Síria nega qualquer utilização de armas químicas, assim como a Rússia, principal aliado do regime sírio, que afirmou que eventuais ataques ocidentais teriam "graves consequências".

A organização, que recebeu um convite oficial do regime sírio para investigar no terreno, "pediu à República Árabe Síria para desencadear os procedimentos necessários para a deslocação", anunciou a OPAQ em comunicado.

Related Articles