Secretaria de Saúde confirma primeira morte por H1N1 no DF em 2018

Secretaria de Saúde confirma primeira morte por H1N1 no DF em 2018

"Essas doses são suficientes para vacinarmos os grupos prioritários definidos para a imunização do dia 13 de abril até o dia 20 de maio, que são os trabalhadores da saúde, os idosos e pacientes com doenças crônicas".

Outros 35 casos de possíveis contaminados com o vírus H1N1 são investigados pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Em um primeiro exame ficou constatado a doença.

A campanha no estado começa 10 dias antes da nacional.

Nesta quinta-feira (11), a Secretaria do Estado da Saúde (SES) concluiu a distribuição da primeira remessa de vacinas às 18 Regionais de Saúde do Estado. Ainda na quarta-feira, foram enviadas 411 mil doses da vacina H1N1 para os seguintes municípios e Regionais de Saúde: Goiânia, 191 mil doses; Aparecida de Goiânia, 56 mil; Regional Central de Saúde, 49 mil e Regional Centro- Sul, 46 mil. As Regionais Central e Centro-Sul incluem os municípios que compõem a Região Metropolitana de Goiânia ou são vizinhos à Capital.

Presos e funcionários do sistema prisional: o agendamento será feito a critério do município no período da campanha.

More news: Em Barcelona, Dilma denuncia "golpe" com prisão de Lula

Em seguida, a proteção será ampliada para os demais grupos de saúde, que são os idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a até quatro anos, mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos cumprindo medida socioeducativa, detentos, povos indígenas e professores das redes pública e particular de ensino.

"No ano passado, tivemos oito casos confirmados no município, sendo três óbitos, dos quais dois foram causados pelo subtipo H3N2, da gripe A, e um de gripe B", lembra a enfermeira, ao citar que esses subtipos da influenza (gripe) estão entre os prevenidos pela vacina, assim como o H1N1. Também é recomendável cobrir a boca e o nariz ao expirrar.

O Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego), pelo terceiro ano consecutivo, com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, vai vacinar os médicos contra a influenza.

Conforme recomendou o infectologista Alberto Chebabo, todas as pessoas acima de 6 meses devem tomar a dose. A vacina é contraindicada apenas para aqueles que têm alergia a ovo, segundo o médico infectologista. "Agora a ameaça do novo vírus é preocupante devido às complicações mais severas da doença que podem até levar à morte". Ao contrário do ano passado, o vírus da H1N1 começou a circular no Estado com casos registrados e acende o sinal vermelho para o risco de uma nova epidemia.

Além disso, familiares de pacientes com o vírus também precisam tomar cuidados especiais.

Related Articles