Facebook vai permitir que usuários apaguem mensagens enviadas do inbox

Facebook vai permitir que usuários apaguem mensagens enviadas do inbox

Nunca se falou tanto em Facebook e principalmente no seu criador Mark Zuckerberg com nós últimos tempos.O fundador da rede social deve depor pela primeira vez no Congresso Americano, desde a criação da página social em 2004, nesta semana. A nova funcionalidade poderá estar ativa nos próximos meses.

Sobre a possibilidade de esta ação constituir uma violação da confiança do utilizador, Mark Zuckerberg declinou comentar. As respostas, paradoxalmente, continuam a existir.

Este procedimento está vedado ao utilizador comum da rede social, por não ser possível eliminar as mensagens recebidas pelos destinatários.

Em comunicado à publicação, o Facebook afirmou que a decisão de deletar mensagens seria uma reação ao incidente envolvendo o hackeamento de e-mails da Sony em 2014, que fez a companhia tomar novas medidas de proteção de dados de seus executivos.

Confrontada com esta informação, a rede social respondeu que foi por uma questão de segurança.

More news: Efeito recurso HC de Lula no STF: Bolsa sobe e dólar recua

Em dados partilhados pela empresa, o Facebook confirma que o número de utilizadores que descarregaram a aplicação que terá obtido os dados, a "thisisyourdigitallife", em Portugal rondou 15 pessoas.

O Facebook explica que já oferece uma função de timer que os utilizadores podem usar para definir que mensagens sejam excluídas após um período de tempo especificado. "Fizemos isso em total conformidade com as nossas obrigações legais de preservar as mensagens ".

"Já discutimos esta funcionalidade várias vezes".

Ontem à noite, vimos relatos de que mensagens do Facebook enviadas por Zuckerberg e outros executivos do Facebook para utilizadores foram misteriosamente apagadas.

Desta forma, e sempre que necessitassem, os administradores poderiam remover mensagens enviadas, fazendo-as desaparecer do Messenger de quem as recebeu e até dos registos do próprio Facebook destes. "Já o devíamos ter feito mais cedo, e pedimos desculpa por não o ter feito", lê-se na resposta enviada pelo Facebook.

Related Articles