Benfica confirma buscas e pede audiência à Procuradora Geral da República

Benfica confirma buscas e pede audiência à Procuradora Geral da República

De acordo com a imprensa nacional, no Tribunal de Guimarães existe um suspeito de passar informação sobre o processo judicial em curso ao assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, detido esta terça-feira.

Esta operação, cujos autos correm no DIAP de Lisboa, envolveu cerca de 50 elementos da Polícia Judiciária, um juiz de instrução criminal e dois magistrados do Ministério Público, responsáveis pela realização de 30 buscas nas áreas do Porto, Fafe, Guimarães, Santarém e Lisboa que levaram "à apreensão de relevantes elementos probatórios", refere o comunicado enviado às redações.

Além do assessor jurídico, a revista também avança que José Silva, um técnico de informática do Instituto de Gestão Financeira e Equipamento da Justiça (IGFEJ), foi detido pela Unidade Nacional Contra a Corrupção da PJ por suspeitas de corrupção passiva.

Os encarnados dizem ainda que vão "pedir com carácter de urgência uma audiência à Senhora Procuradora-Geral da República, pelas reiteradas e constantes violações do segredo de justiça, sobre os processos que envolvem o clube, numa estratégia intencional e com procedimentos fáceis de serem investigados, como hoje foi claramente comprovado".

O Benfica manifesta no comunicado, publicado no seu site, "a sua confiança e convicção de que o Dr. Paulo Gonçalves terá oportunidade, no âmbito do processo judicial, de provar a legalidade dos seus procedimentos".

A Polícia Judiciária (PJ) confirmou, através de um comunicado, a detenção de dois homens na operação E-Toupeira pela prática de seis crimes: corrupção ativa e passiva, acesso ilegítimo, violação de segredo de justiça, falsidade informática e favorecimento pessoal.

More news: Ataque nuclear contra aliados será respondido pela Rússia — Putin

A PGDL não refere que a sociedade anónima desportiva é a SAD do Benfica.

Recorde-se que o diretor do departamento jurídico do Benfica tinha sido constituído arguido no dia 19 de outubro, na sequência de buscas da Policia Judiciária ao Clube.

O Benfica ainda não reagiu a esta detenção, mas o diretor de comunicação do FC Porto já se pronunciou no Twitter.

Entre outras situações, o responsável dos 'dragões' revelou também a alegada partilha de mensagens de telemóvel do atual presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, na altura em que presidiu à Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), entre o diretor de conteúdos da BTV, Pedro Guerra, e o ex-presidente da Assembleia-Geral da LPFP Carlos Deus Pereira.

Em causa está uma rede montada junto do sistema judicial para recolher informações de processos que decorrem no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa sobre o clube.

Related Articles