Operação Lex. Rui Rangel e Fátima Galante não falaram

Operação Lex. Rui Rangel e Fátima Galante não falaram

Os indícios apurados pelo Ministério Público, e perante os quais Rangel e Galante ficaram em silêncio, na audição de quinta-feira, no Supremo Tribunal de Justiça, apontam que os dois juízes, que já foram casados, teriam em marcha "um esquema de promiscuidade", segundo frisa o CM.

Os Juízes Rui Rangel e Fátima Galante entraram ás 09:50 minutos de hoje, no Supremo Tribunal de Justiça, onde irão ser ouvidos como arguidos no âmbito da "Operação Lex".

"Temos de ter a humildade de, entre nós, Ministério Público e defesa, tentarmos definir as regras com que nos vamos coser e é isso que estamos a fazer", salvaguarda o advogado. Fátima Galante, sua ex-mulher e também juíza, também só terá a aplicação no dia 14.

Ficou já também marcada para a próxima quarta à tarde uma sessão para o juiz de instrução, o conselheiro Pires da Graça, dê a conhecer às defesas a sua decisão. Os arguidos foram dispensados de comparecer esta manhã no tribunal e os advogados que os representam, João Nabais e Paulo Sá e Cunha, pediram igualmente um prazo mais alargado para responder à proposta das medidas de coação.

More news: Barroso intima diretor da PF por declarações sobre inquérito de Temer

De acordo com a agência Lusa, os dois juízes desembargadores do Tribunal da Relação de Lisboa estão indiciados por crimes de corrupção/recebimento indevido de vantagens, branqueamento, tráfico de influência e fraude fiscal.

Na Operação Lex são também arguidos o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, o vice-presidente do clube da Luz Fernando Tavares, bem como o ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol, João Rodrigues.

Depois das primeiras inquirições no Supremo da semana passada, os cinco suspeitos (que tinham sido detidos preventivamente) acabaram por ser libertados no sábado, um deles com uma coima de 25 mil euros.

Na operação, desencadeada a 30 de janeiro, foram realizadas 33 buscas, das quais 20 domiciliárias, nomeadamente ao Sport Lisboa e Benfica, às casas de Luís Filipe Vieira e dos dois juízes e a três escritórios de advogados.

Related Articles