Mais uma vítima de febre amarela morre no Rio de Janeiro

Mais uma vítima de febre amarela morre no Rio de Janeiro

A Secretaria de Saúde de São Paulo confirmou oficialmente nesta sexta-feira (9) o primeiro caso de febre amarela contraída no município. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, ele frequentava semanalmente um local próximo do Parque Estadual da Cantareira, na zona norte, onde se contaminou.

Atualmente, a vacina está disponível em todas as unidades de saúde, conforme o cronograma: Bela Vista - 2ª feira; Cecap - 2ª feira; Jardim Donalísio - 3ª feira; Salto de São José - 4ª feira; Jardim das Nações - 5ª feira; CS II (Centro) - 5ª feira; Jardim Saltense - 6ª feira; Jardim Santa Cruz - 6ª feira; São Gabriel - 6ª feira.

Segundo a secretaria, não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942. Só neste ano, a capital registrou 43 casos - esse no Tremembé e os demais importados de outros Estados ou municípios - e seis mortes. Também nesta sexta (9), a Prefeitura também determinou o fechamento de quatro parques na zona sul, como medida preventiva contra o vírus.

More news: Casa Branca volta a apoiar projeto orçamentário bipartidário do Senado

O litoral paulista também registrou, pela primeira vez, um caso autóctone da doença.

No estado do Rio de Janeiro foram registrados 55 casos da doença, sendo 28 resultados positivos somente em cidades do Sul Fluminense.

"A falta destes moradores na data marcada acaba prejudicando a estratégia de vacinação, pois munícipes que poderiam receber a dose da vacina não a recebem porque a distribuição das senhas se dá de acordo com a capacidade operacional das unidades e com a área de abrangência de cada unidade", informou a secretaria. Valença, também no interior do Rio, segue como a cidade com o maior número de pessoas infectadas: são 16 casos e seis mortes confirmadas até agora. No Parque Linear Invernada, sem grades, há indicação para não frequentar.

Related Articles