Petrobras muda estratégia de divulgação de reajustes dos combustíveis

Petrobras muda estratégia de divulgação de reajustes dos combustíveis

A Petrobras não tem condição de definir os preços.

Ainda na sua página na internet, a Petrobras informa que, em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional, analisa a sua participação no mercado interno e avalia frequentemente se haverá manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias. "Não podemos assistir de mãos atadas à atuação cartelizada das corporações do setor em prejuízo da população", disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco.

Também nesta terça-feira, foi anunciado alta para o diesel em 0,6%. Apenas no ano passado, foram 116 alterações de preços na gasolina, sendo 61 aumentos e 55 quedas, acumulando alta de 29,54%.

Os preços da estatal representam cerca de 30% do valor final de venda -o restante é composto por impostos e margens das distribuidoras e postos revendedores.

More news: TRF4 publica acórdão e começa prazo para defesa de Lula recorrer

Os dados da ANP mostram que, entre julho e a última semana, as distribuidoras aumentaram seus preços em percentual superior ao das bombas: 23,1% na gasolina e 20,5% no diesel.

Crítico ferrenho do governo de Michel Temer, o deputado federal Rogério Correia (PT) voltou a alfinetar a gestão do emedebista, após a Petrobras decidir aumentar em 0,5% os preços da gasolina nas refinarias pela terceira vez consecutiva na terça-feira. A queda para a gasolina ficou em 1,5% e no diesel em 1,4%.

A partir da segunda (19), a empresa passará a divulgar apenas os preços médios de cada combustível, sem os percentuais. "É mais transparente", defendeu o presidente da estatal.

Related Articles