Réu na Lava Jato, Raul Schmidt é preso em Portugal

Réu na Lava Jato, Raul Schmidt é preso em Portugal

A Polícia Judiciária no Sardoal, distrito de Santarém, deteve este sábado o empresário Raul Schmidt, arguido na operação judicial brasileira Lava Jato.

A detenção ocorreu depois de o Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) ter emitido um mandado de detenção do empresário com vista à sua extradição para o Brasil.

Atualmente, na 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, há dois processos contra Shmidt.

Sobre a detenção, a agência Lusa contactou o advogado de Raul Schmidt que escusou-se a confirmar o sucedido, remetendo para domingo de manhã esclarecimentos sobre a situação do seu constituinte.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, o empresário teria intermediado ou efetuado o pagamento de vantagens indevidas a pelo menos três diretores da Petrobrás mediante a transferência de quantias para o exterior, o que, para o magistrado, indicaria a existência de crimes como corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

More news: Mulher de Júlio César em lágrimas: "Os homens são egoístas"

Segundo foi noticiado em Portugal, Raul Schmidt nunca foi encontrado em casa pela Polícia Judiciária, que teria o encargo de o deter, na sequência da decisão da Relação. A continuidade do processo depende da conclusão da extradição.

Raul Schmidt, cidadão luso-brasileiro extraditado por Portugal Foto: TV Globo/Reprod.

Em 6 de Novembro de 2017, o Tribunal Constitucional (TC) decidiu "não conhecer do objecto do recurso", o que levou o arguido a reclamar para a Conferência de Juízes, vindo o TC, por acórdão datado de 12 de Dezembro 2017, a confirmar a decisão proferida e a indeferir a reclamação.

O advogado lembrou que Raul Schmidt adquiriu a nacionalidade portuguesa em 14 de dezembro de 2011, mas com a entrada em vigor das alterações à Lei da Nacionalidade passou a ser "natural (português) nato", já que ambos os avós são portugueses.

Related Articles