Trump cancela viagem que faria a Londres

Trump cancela viagem que faria a Londres

Donald Trump cancelou uma visita ao Reino Unido para inaugurar a nova embaixada norte-americana, sob o argumento de que Obama "vendeu ao desbarato" a embaixada com "a melhor localização de Londres".

O ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, atacou publicamente o mayor de Londres, Sadiq Khan, e o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, acusando-os de colocarem em risco as boas relações entre o Reino Unido e os Estados Unidos.

O gabinete da primeira-ministra Theresa May escusou-se a comentar o cancelamento da visita de trabalho.

"Parece que o Presidente Trump recebeu a mensagem dos muitos londrinos que amam e admiram os Estados Unidos e os norte-americanos, mas que pensam que as suas políticas e ações são o oposto dos valores da nossa cidade de inclusão, diversidade e tolerância", disse Khan.

More news: Ações dobram de valor após Kodak lançar criptomoeda própria

"Sua visita do próximo mês, sem dúvida, teria sido recebida com protestos maciços pacíficos", acrescentou.

Alguns parlamentares britânicos questionaram a visita de Trump depois que o presidente americano retuitou vídeos de um grupo britânico de extrema-direita e criticou o prefeito de Londres, Sadiq Khan, após um ataque terrorista no ano passado.

A decisão de construir uma nova embaixada em Londres não foi tomada por Barack Obama (2009-2017), mas por George W. Bush (2001-2009), em 2008, segundo noticiou então a imprensa. A construção dos novos prédios, avaliada em 1 bilhão de dólares (R$ 3,2 bilhões), foi totalmente financiada com a venda de outros imóveis em Londres.

A visita cancelada nas últimas horas não era esta visita de Estado, para a qual ainda não há data, mas uma viagem oficial na qual o chefe da Casa Branca inauguraria a nova embaixada dos EUA em Londres.

Related Articles