Quem é o homem que descobriu a maior vulnerabilidade informática — Meltdown

Quem é o homem que descobriu a maior vulnerabilidade informática — Meltdown

Como explicamos por aqui, o problema está na execução especulativa (speculative execution). No entanto, mesmo com a aplicação de uma correção é previsto que ainda haja um efeito colateral: perda de performance dos processadores de até 30%. O segundo erro, chamado Specter, afeta chips da Intel, AMD e ARM e permite que os hackers potencialmente consigam informações secretas por meio de aplicativos.

De acordo com Chris Foxx, repórter de tecnologia da BBC, quando pesquisadores descobrem uma falha de segurança, eles costumam compartilhar a informação com a empresa envolvida para que o problema seja resolvido. Dois nomes, Spectre e Meltdown, também estão sendo usados para identificar as vulnerabilidades. A Microsoft não quis comentar e a Apple não retornou aos pedidos de entrevista feitos pela reportagem. A primeira deverá estar incluída no pacote de correcções da Microsoft da próxima terça-feira, ou até antes.

O que é um "side-channel analysis explit"? E se acaso você tenha construído seu próprio PC, será necessário verificar com os fornecedores das peças sobre as correções. Isso pode dar ao criminoso acesso a dados que normalmente não conseguiria, apesar de a Intel ter afimado que os dados não serão apagados ou modificados.

Existem três variantes deste bug. A actualização dos sistemas operativos mitigou o problema. Também negou as informações que referem que a vulnerabilidade era uma falha ou que era especificamente da Intel.

More news: Corte IDH realizará audiencia por indulto a Fujimori

Tudo isto deve-se ao facto de como os processadores funcionam. Em seguida promoveu uma teleconferência. "A Intel acredita que esses exploits não possuem o potencial para corromper, modificar ou apagar dados".

Enquanto isso, a rival AMD afirmou a desenvolvedores Linux que seus chips não são vulneráveis aos tipos de ataques que o reparo que sendo preparado para os processadores da Intel vão cuidar, publicou o The Register.

"Estamos num processo de disponibilização de mitigações nos serviços cloud e também lançámos actualizações de segurança para proteger os utilizadores Windows das vulnerabilidades que afectam processadores da Intel, da ARM e da AMD". Segundo a Intel, a venda já estava planejada há meses, não tendo relação com o caso. Para quem usa o Chrome, a Google recomenda a ativação da opção Isolamento do Site enquanto não chega a versão 64 do browser. "Verifique junto do fabricante ou fornecedor do seus sistema operativo e aplique qualquer actualização disponível assim que disponível", refere a empresa. "Seguir as boas práticas de segurança que o protegem de malware em geral também o vão ajudar a proteger-se contra possíveis falhas enquanto as actualizações não estão disponíveis".

Related Articles