Juiz nega pedido de Maluf para que perito particular acompanhe exame médico

Juiz nega pedido de Maluf para que perito particular acompanhe exame médico

Após avaliação, o Instituto Médico Legal (IML) de Brasília, emitiu um laudo em que constatou que Paulo Maluf, preso na última semana, tem uma condição grave de saúde, mas o presídio onde ele está possui condições de atendê-lo.

Os advogados do deputado argumentam que Maluf sofre de problemas de saúde como câncer de próstata, hérnia de disco, problemas cardíacos e movimentos limitados e, por isso, pedia prisão domiciliar.

O ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, de 86 anos, está cumprindo na Papuda pena de 7 anos e 9 meses de prisão em regime fechado.

Ainda segundo a perícia, realizada na última sexta-feira (22), apesar de estar clinicamente bem, há a possibilidade de "deterioração progressiva e até mesmo rápida do quadro clínico", a depender do comportamento evolutivo do câncer de próstata.

More news: Evaristo volta para a bancada em ação da Netflix

Quanto à alegada doença cardíaca de Maluf - que segundo a defesa não teria analisada pelos peritos do IML -, o laudo reproduz informações repassadas pelo próprio Maluf. No laudo, os peritos afirmam que o deputado apresenta-se "lúcido, orientado no tempo e espaço, tem discurso coerente, memória preservada e boa cognição".

A transferência de Maluf para Brasília acontece após decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia, que negou, nesta quinta-feira (21), o pedido da defesa para suspender a prisão do parlamentar.

A sentença foi imposta em processo no qual Maluf foi acusado de receber propina em contratos com as empreiteiras Mendes Júnior e OAS para a construção da Avenida Água Espraiada, hoje chamada Avenida Roberto Marinho. O custo total da obra foi cerca de R$ 800 milhões. Os procuradores estimam que tenham sido movimentados US$ 170 milhões. O colegiado entendeu que ele movimentou quantias milionárias em recursos ilícitos localizados em contas nas Ilhas Jersey. O parlamentar foi condenado pelo Supremo em maio pelo crime de lavagem de dinheiro.

Related Articles