Cristiano Ronaldo deve ser detido, defende Fisco espanhol

Cristiano Ronaldo deve ser detido, defende Fisco espanhol

Este é o entendimento de Caridad Gómez Mourelo, responsável da unidade central de coordenação do Tesouro espanhol especialista em crime fiscal, em declarações ao Tribunal de Primeira Instância de Pozuelo de Alarcón. "Temos na prisão pessoas que não pagaram 125 mil euros", afirmou Caridad Gómez Mourelo em tribunal, em 7 de dezembro.

O internacional português do Real Madrid é acusado de ter, de forma "consciente", criado empresas na Irlanda e nas Ilhas Virgens britânicas, para defraudar o fisco espanhol em 14.768.897 euros, cometendo quatro delitos contra os cofres do Estado espanhol, entre 2011 e 2014.

Na base da acusação estão os direitos de imagem do jogador português, ao serviço do Real Madrid desde 2009, e que, desde o dia 1 de Janeiro de 2010, é considerado residente fiscal em Espanha.

Nas declarações agora citadas, a responsável pela Unidade Central de Coordenação do Tesouro, considerou "importantíssima" para o fisco espanhol a verba de quase 15 milhões de euros que é imputada ao jogador do Real Madrid. "No entanto, isto foi detectado e está a ser detectado e isso é super positivo para todos".

More news: William Waack deixa a Rede Globo após repercussão de comentário racista

A defesa do jogador, segundo o jornal, defende que o caso trata-se de uma discrepância técnica que deveria ser resolvida no âmbito administrativo. "Mas foi", insistiu Gómez Mourelo.

Já hoje, ao início da tarde, Cristiano Ronaldo publicou na sua página oficial do Facebook esta imagem onde escreve: "Estou preso a este bebés lindos".

O caso de Cristiano Ronaldo é apenas mais um, depois da justiça já ter perseguido casos semelhantes com Lionel Messi e Javier Macherano, também condenados em 2016 por fraude fiscal.

Related Articles