Facebook destrói a sociedade? "Éramos uma empresa muito diferente"

Facebook destrói a sociedade?

Chamath Palihapitiya, um antigo vice-presidente do Facebook, afirmou durante uma palestra na escola de negócios da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, que as redes sociais estão "a destruir a forma como a sociedade funciona" e a "erodir os mecanismos fundamentais de como as pessoas agem e interagem".

Palihapitiya trabalhou na empresa fundada por Mark Zuckerberg entre 2007 a 2011, tendo tido responsável pelos esforços de expansão do número de utilizadores daquela rede social. E aconselhou os presentes a fazerem uma pausa nas redes sociais. O Facebook era uma empresa muito diferente na altura e, à medida que fomos crescendo, percebemos que as nossas responsabilidades também cresceram. É um ciclo de dopamina que, a curto prazo, diz: 'sem discurso civil, sem cooperação, desinformação, mentira'. E esse não é um problema da América, não é sobre anúncios russos: "esse é um problema global". Desta vez a afirmação vem de um Ex-execytivo do Facebook que põe o dedo na ferida e chega mesmo a afirmar que que os seus filhos "não podem usar essa porcaria".

More news: MP está a investigar rede de adoções ilegais de crianças da IURD

Não é a primeira vez que um ex-funcionário do Facebook critica o poder excessivo que a rede social construiu com o passar dos anos. Segundo ele, investidores em geral gastam dinheiro "em empresas de m****, inúteis e idiotas" em vez de abordar problemas reais, como mudanças climáticas e doenças. "Estamos em um estado muito ruim das coisas no momento", opinou Palihapitiya, atualmente CEO da Social Capital. O ex-gerente de produtos Antonio Garcia-Martinez avaliou que o Facebook é baseado em sua habilidade em influenciar os usuários a partir da coleta de seus dados e escreveu um livro sobre seu trabalho. Já o investidor Sean Parker disse recentemente que o Facebook "explora uma vulnerabilidade na psicologia humana", e por isso ganhou tanta força.

Related Articles