Redação do Enem dos presos aborda busca por padrões de beleza

Redação do Enem dos presos aborda busca por padrões de beleza

O mês de dezembro marca a possibilidade de uma virada por meio da educação para pessoas presas: nos dias 12 e 13 de dezembro, 326 reeducandos da Baixada Santista farão o Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL).

Entre os presidiários inscritos está o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), que pediu o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, a alteração da data de duas audiências para poder participar do exame.

More news: Edgar Ié titular, Lille perde com o PSG — França

Os internos receberam aulas diariamente com os conteúdos nas áreas de Ciências Humanas, Exatas, Tecnológicas, Biológicas e Redação, preparando-os assim para as provas do Enem PPL e também para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA). Ao todo serão 5 horas e meia de provas.

Ao todo, 3.886 pessoas terão direito à reaplicação, que acontece em 37 locais de provas de 29 municípios. O Enem PPL é uma iniciativa do Inep, em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça e Cidadania (Depen/MJC) e com a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. O conteúdo exigido é o mesmo do aplicado às pessoas que estão em liberdade, sendo que a diferença é o local da aplicação da prova: neste caso, são as unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos respectivos órgãos de administração prisional de cada unidade federativa do Brasil. Para os participantes com direito à segunda aplicação, o Cartão de Confirmação da Inscrição está disponível na Página do Participante. Os problemas ocorreram em nove locais: um em Olinda (PE), um em Teresina (PI), e em sete endereços em Uruaçu (GO). As provas foram aplicadas em 1.078 unidades prisionais de 577 municípios brasileiros.

Related Articles