Descongelamento das progressões na carreira será feito em dois anos

Descongelamento das progressões na carreira será feito em dois anos

Mas o benefício para o conjunto dos trabalhadores pouco varia, de acordo com as contas feitas pelo Observador. Para 2019 será pago o restante: 75% a 1 de maio e 100% a 1 de dezembro. O Governo propunha inicialmente 17,5% na primeira hora (contra 12,5% actuais), 25% nas horas ou fracções subsequentes (contra os actuais 18,75%) e 35% em dia de descanso semanal, obrigatório ou complementar e em dia feriado (contra os actuais 25%).

Agora, segundo informações avançadas ao Expresso, o Governo chegou a acordo com o PCP e recuou assim na intenção de descongelar apenas 33% da verba em 2018 e os restantes 67% em 2019. Mas PCP e Bloco de Esquerda acabaram por conseguir o seu grande objetivo, que era que este processo ficasse terminado em dois anos.

More news: Netflix divulga novo trailer de Stranger Things 2. Confira

A proposta do Orçamento do Estado para 2018 foi aprovada por volta da meia-noite de quinta-feira em Conselho de Ministros, mas estes ajustes dos pagamentos decorrentes das progressões nas carreiras foram acertados com o PCP já esta madrugada. No ano seguinte, em 2019, recebem mais 25% em maio e 25% em dezembro. Além disso, não se sabe ainda se este acordo acautelou o pagamento de um valor mínimo aos trabalhadores que ganham menos, tal como chegou a ser negociado com os representantes dos funcionários públicos.

Related Articles