Presidente do PSG investigado por alegados subornos a antigo secretário da FIFA

Presidente do PSG investigado por alegados subornos a antigo secretário da FIFA

De acordo com o texto, há a suspeita de que "Valcke aceitou indevidas vantagens de um negociador de direitos esportivos, ligadas à cessão de direitos para alguns países das Copas do Mundo de 2018, 2022, 2026 e 2030, e de Nasser Al-Khelaifi, ligadas à cessão de direitos esportivos para alguns países das Copas do Mundo de 2026 e 2030".

O gabinete do procurador-geral helvético informou que a investigação diz respeito a subornos oferecidos ao antigo secretário-geral da FIFA, Jerôme Valcke para que o dirigente entregasse os direitos ao grupo BeIN Media, propriedade de Al-Khelaifi. As investigações estariam apurando "suspeitas de corrupção privada" e gestão desleal. Um "negociante do setor de direitos esportivos" também está envolvido no processo.

Valcke foi interrogado sobre o tema nesta quinta-feira, na Suíça, onde esteve para uma audiência no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

More news: EUA anunciam saída da Unesco por viés 'anti-Israel' do órgão

A procuradoria federal suíça dá ainda conta de que Valcke já foi ouvido nesta quinta-feira e confirmou a existência de buscas em propriedades em Espanha, França, Grécia e Itália.

O processo foi aberto em 20 de março, mas anunciado apenas nesta quinta, explicaram os promotores do caso.

Nasser Al-Khelaifi ganhou fama mundial depois de assumir a presidência do Paris Saint-Germain em 2011, logo depois de o grupo Qatar Sports Investiments (QSI) comprar o clube francês para fazê-lo de um dos maiores do futebol europeu. Em 2006, o cartola já havia sido demitido da Fifa por ter mentido em uma negociação, causando prejuízo de R$ 190 milhões à entidade máxima do futebol.

Related Articles