"Não pedi licença a ninguém" — Santana confirma candidatura

O futuro do partido ainda é incerto, com muitos nomes divulgados ao longo dos últimos dias, como Luís Montenegro, Paulo Rangel, Rui Rio, Pedro Santana Lopes ou André Ventura. A notícia está a ser avançada pelo Expresso, adiantando que falta apenas decidir quando, como e onde será feito o anúncio formal.

Em declarações à edição online do jornal Expresso, o próprio provedor da Santa Casa da Misericórdia havia entretanto confirmado o almoço com Marcelo Rebelo de Sousa, dizendo igualmente que este "estava combinado há cerca de três semanas" e que ambos concluíram que "não havia razões para o cancelar".

A decisão de avançar para a liderança do partido era já esperada, depois de o antigo primeiro-ministro ter adiantado que estava a estudar essa possibilidade e revelado que estava a escrever um programa para o partido. O novo líder do partido vai ser escolhido nas eleições diretas agendadas para o próximo dia 13 de janeiro e o ex-presidente da Câmara Municipal de Lisboa será um dos nomes.

More news: Nate perde força e volta a ser tempestade tropical nos EUA

Pedro Santana Lopes é, assim, o segundo nome confirmado na corrida para a liderança do PSD, depois de Rui Rio ter dado todos os sinais de que está disposto a avançar como candidato à sucessão de Passos Coelho.

"Não pedi licença a ninguém para tomar a decisão que está tomada", disse ainda Santana Lopes que parece estar na iminência de formalizar, a qualquer momento, a candidatura à presidência do Partido Social-Democrata. Resta saber o que fará ainda Miguel Pinto Luz, um nome que tem sido apontado com insistência e que ainda não esclareceu se está ou não disposto a disputar a liderança. "O presidente do PSD disse que existem 70% de hipóteses de Santana ser candidato e 30% de não ser".

Related Articles