Brasil: Segurança de creche atea fogo a crianças. Pelo menos quatro mortes

Brasil: Segurança de creche atea fogo a crianças. Pelo menos quatro mortes

O vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, que ateou fogo e provocou a morte de quatro crianças da creche onde trabalhava, no município de Janaúba, no norte de Minas Gerais, morreu nesta tarde, no hospital onde estava internado em estado grave. Quarenta pessoas ficaram feridas. O acusado da autoria do crime também morreu.

O segurança que ateou fogo em uma creche em Janaúba, no norte de Minas Gerais, teve diversos episódios de surtos psicóticos nas últimas semanas, de acordo com a delegacia que cuida do caso. A professora entrou lá e salvou aqueles meninos e meninas, só que acabou tendo 90% do seu corpo queimado. Na noite de ontem, seu estado de saúde era gravíssimo, e ela aguardava transferência.

Uma das crianças dada como morta na tragédia de Janaúba foi reanimada pelas equipes médicas que trabalhavam para tratar os feridos e por isso o número de óbitos foi retificado na manhã desta sexta-feira. Entre os queimados está o agressor, que se encontra em estado grave.

O prefeito afirma que a tragédia poderia ser pior, pois a turma que Damião "escolheu" para atacar era de crianças com 4 anos e muitas conseguiram correr. Ele havia tirado férias de junho a agosto e quando voltou, em setembro, alegou problemas de saúde. Ainda segundo a PM, um avião do governo do Estado foi de Belo Horizonte para Janaúba para transportar os feridos até o Hospital João XXIII, na capital mineira, que é referência em tratamento de queimaduras em Minas.

More news: Brasil domina, mas goleiro boliviano garante empate

Entretanto, a investigação mostra que a princípio o crime foi premeditado.

Segundo o Instituto Médico-Legal da cidade, morreram no ataque Ana Clara Ferreira Silva, 4 anos, Luiz Davi Carlos Rodrigues, 4 anos, Juan Pablo Cruz dos Santos, 4 anos, Juan Miguel Soares Silva, 4 anos, Renan Nicolas Santos, 4 anos, Helley Abreu Batista, professora, 43 anos e Damião Soares dos Santos, vigia, 50 anos. Já de acordo com dados da Polícia Militar, cinco crianças morreram.

A prefeitura de Janaúna decretou luto oficial de sete dias. Vizinho do vigia, Mendes disse à reportagem que Santos vivia sozinho e não apresentava nenhum sinal que pudesse indicar a possibilidade do ataque. Vai ao ar, de segunda a sexta-feira, às 8h, pelas rádios Nacional da Amazônia e Nacional AM do Rio de Janeiro. "A diretora quis saber por que e ele ficou de mandar um atestado".

Related Articles