Economia grega com crescimento homólogo de 0,8% no 2.º trimestre

Economia grega com crescimento homólogo de 0,8% no 2.º trimestre

Os dados divulgados hoje (01/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que, somados, os bens e serviços produzidos totalizaram, em valores correntes, R$ 1.639,3 trilhões - contra R$ 1,6 trilhão de janeiro a março. No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços registraram variação positiva de 0,5%, enquanto que as Importações de Bens e Serviços caíram 3,5% em relação ao primeiro trimestre de 2017.

Já no acumulado de 12 meses, a economia encolheu 1,4% ante os 12 meses imediatamente anteriores. Frente ao segundo trimestre de 2016, os investimentos registram tombo mais forte, de 6,5%.

Com isso, a soma de todos os produtos, bens e serviços no País alcançou R$ 1,6 trilhão no segundo trimestre do ano.

Rebecca Palis, coordenadora de contas nacionais do IBGE, ressalvou que o crescimento verificado no trimestre é próximo à estabilidade. A indústria de transformação manteve-se praticamente estável, com 0,1% em relação ao trimestre anterior, mas apresenta queda de 1% em relação ao mesmo período do ano passado.

A DSEC indicou ainda que o investimento abrandou, com a formação bruta de capital fixo, que o reflete, a registar uma contração homóloga de 2,4%, contrastando com o primeiro trimestre (+7,1%), devido à "contínua conclusão das obras de grande envergadura de construção de instalações do turismo e entretenimento". Por outro lado, as importações subiram 0,7% na comparação trimestral e cresceram 5,8% no segundo trimestre face ao período homólogo. Já no primeiro semestre, o PIB apresentou variação nula em relação aos seis primeiros meses de 2016.

"Nos serviços, tiveram resultado positivo: comércio (1,9%), atividades imobiliárias e outros serviços (0,8%) e atividade de transporte, armazenagem e correio (0,6%)".

More news: Liverpool aceitou proposta astronômica do Barcelona por Coutinho — Site

Bruno Levy, da Tendências Consultoria, esperava alta de 0,3% para o PIB de 2017 e avalia que o desempenho deve ficar mais próximo de 0,5%.

No primeiro trimestre, quando o PIB subiu 1%, parte importante do resultado refletiu bom desempenho das exportações.

O próprio IBGE desmentiu Temer e afirma que ainda não é possível dizer que a economia está em recuperação.

"O encolhimento do estoque de capital na economia (redução da relação entre capital e trabalho) compromete o crescimento da produtividade, reduz o PIB potencial e vai dificultar a recuperação da economia”, disse ele, em relatório divulgado após a publicação dos números do IBGE".

Contudo, fazendo a comparação em cadeia - isto é, comparando dois trimestres seguidos, neste caso o segundo deste ano com o primeiro - a evolução da economia já não parece tão cor de rosa.

Related Articles