Governo quer privatizar Casa da Moeda

Governo quer privatizar Casa da Moeda

Diante do rombo nas contas públicas, o governo, com necessidade de aumentar a arrecadação, anunciou nesta quarta-feira (23) que pretende privatizar a Casa da Moeda. As informações são do jornal O Globo.

Pensando em melhorar o caixa da União, o governo decidiu colocar à disposição da iniciativa privada a administração de 14 aeroportos, 11 lotes de linhas de transmissão, 15 terminais portuários, além de se desfazer de parte da Eletrobras, como foi anunciado no início da semana.

O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou a privatização da Eletrobras, mas a operação ainda não tem cronograma detalhado.

O plano incluiu ainda a concessão de 15 terminais portuários, leição de um trecho entre Rondônia e Mato Grosso da BR-364 e relicitaçaõ de trecho da BR-153 entre Goiás e Tocantins.

Os terminais que irão a leilão ficam nos portos de Belém (GLP e granéis líquidos), Vila do Conde (granéis líquidos), Paranaguá (grãos) e Vitória (granéis líquidos). De acordo com a divulgação feita, o Ministério do Planejamento propôs a concessão dos aeroportos de Macaé, no Rio de Janeiro, e o de Congonhas, em São Paulo. De acordo com Moreira Franco, ministro da secretaria-geral da Presidência e braço direito de Temer no golpe, 57 novos ativos foram disponibilizados para concessões ou desestatização, sendo que em setembro do ano passado já foram incluídos outros 34 projetos. A previsão é que todos os leilões aconteçam até o meio de 2018. O Ministério dos Transportes, por sua vez, propôs a privatização de dois aeroportos, sendo em dois blocos, além do Aeroporto Eurico Salles, em Vitória, Espírito Santo.

More news: Quem: Mel B joga água em colega após piada sobre escândalo sexual

A proposta ainda reforça a intenção do governo de vender as participações que tem das ações da Infraero nos aeroportos de Confins, Guarulhos, Galeão e Brasília. O primeiro será do Nordeste e contará com os aeroportos de Maceió (AL), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE), Recife (PE) e João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba. Em 2014, ainda no governo da presidenta #Dilma Rousseff, foi realizado o leilão da BR-153, mas, a concessionária Galvão, ganhadora do processo licitatório, não cumpriu com os itens previstos e teve o contrato cancelado.

Bloco Centro-Oeste: Cuiabá, Sinop, Alta Floresta, Barra do Garças e Rondonópolis.

Pelo menos R$ 9 bilhões em investimentos são esperados com leilões de 11 lotes de linhas de transmissão de energia em dez estados.

Depois da Eletrobras e da Lotex, chegou a vez de a Casa da Moeda entrar nos planos de privatização do governo federal.

O governo não divulgou quanto espera arrecadar com a vanda da Casa Moeda. São novas estruturas, que serão construídas pelas empresas vencedoras dos leilões e que vão ampliar a rede de transmissão de energia do país.

Related Articles