Gilmar: STF tem mãos 'queimadas' por intervir no sistema eleitoral

Gilmar: STF tem mãos 'queimadas' por intervir no sistema eleitoral

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou que já há sinais "claros" no Brasil da presença do crime organizado na política, como ocorre no México, país que ele visitou recentemente. Mais cedo, 1 homem foi detido ao tentar jogar tomates podres no ministro. O Gilmar Mendes fica metendo o pau [sic] na Lava Jato e a Lava Jato é a maior operação contra corrupção do mundo.

Sobre a mudança no sistema de governo, Gilmar disse que "temos que fazer reformas mais profundas". Integrantes de movimentos sociais presentes na plateia vestiram narizes de palhaço no momento de sua palestra. "É inevitável", disse ele ressaltando que se houvesse uma consulta popular as pessoas seriam contra o financiamento público e o corporativo. "Tudo indica que já vivemos o fenômeno do uso de laranjas".

"Se nós considerarmos que aos R$ 5 bilhões talvez tenham que ser acrescidos pelo menos 30% de caixa 2, verbas não declaradas, gastos não declarados, isso indica que esse fundo que está provocando tanta revolta, crítica, muito provavelmente é insuficiente para o custeio das campanhas apenas dos deputados federais no modelo atual", completa.

More news: Messi e CR7 prestam solidariedade às vítimas de atentado em Barcelona

Gilmar Mendes ainda defendeu a cláusula de barreira. "Vamos querer que o narcotráfico, que as milícias, financiem as campanhas?", questionou o ministro do durante do Fórum Estadão que discutiu a reforma política.

O ministro concedeu a eles uma extensão do habeas corpus que havia beneficiado os empresários de ônibus Jacob Barata Filho e Lélis Teixeira. Um dos argumentos é que a filha de Barata é casada com o sobrinho do ministro, que foi padrinho do casamento.

Related Articles