Governo adia decisão sobre meta fiscal

Governo adia decisão sobre meta fiscal

Essa situação se reflete na arrecadação do governo, que vem ficando abaixo da esperada neste ano.

O comunicado não especifica a meta de qual ano - 2017 ou 2018, ou ainda ambos - que será debatida.

Pelo lado dos gastos, o governo congelará salários de servidores em 2018 para economizar R$ 9,8 bilhões.

Mas a Fazenda ainda preferia esperar mais para manter a mensagem de maior austeridade.

A decisão de adiar o anúncio foi do Palácio do Planalto e, segundo uma fonte palaciana, ainda havia "detalhes" a serem acertados.

More news: Mexicano Rafa Márquez envolvido em polémica de narcotráfico

As novas cifras que o governo anunciará, contudo, deverão ficar acima das últimas contas de déficit primário de 154,8 bilhões de reais para 2017 e de 130,5 bilhões de reais para 2018, conforme relatório Prisma Fiscal divulgado nesta quinta-feira.

A assessoria de imprensa da Presidência da República informou, na tarde desta quinta-feira (10), que acabou a reunião do presidente Michel Temer com a equipe econômica e com líderes.

Após reunião na quarta-feira (9), entre Temer e seus auxiliares, o cenário traçado era o de que, diante das sucessivas frustrações de receitas, seria preciso ampliar o deficit deste ano de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões e, para o próximo ano, de R$ 129 bilhões também para R$ 159 bilhões. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, defende a elevação de alguns tributos, mas os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), já avisaram que o Congresso resiste a aprovar esse tipo de medida.

De acordo com o blog do João Borges, o governo já chegou à conclusão de que não há escapatória e será necessária a revisão das metas deste ano e de 2018.

Related Articles